top of page

6 Formas de Controlar a Impulsividade

Pessoas com elevada autorregulação são capazes de inibir precocemente as reações automáticas e escolher comportamentos mais adequados à situação e com melhores resultados.



Perante emoções desagradáveis fortes é difícil manter um comportamento sereno. O objetivo não é controlar as emoções mas sim controlar os impulsos resultantes dessas emoções para não reagir no calor do momento.



1. Relaxamento


A primeira regra para aprender a autocontrolar os seus impulsos é a prática diária de uma técnica de relaxamento ou meditação. Uma das principais causas da impulsividade é a acumulação de situações indutoras de níveis médios-baixos de stresse. Em cada uma dessas situações libertam-se no sangue hormonas que se vão manter na circulação sanguínea durante horas. Se as situações forem sucessivas ao longo do dia, mesmo sendo de baixa intensidade, vão-se acumulando elevados níveis hormonais que acabam por desencadear respostas de elevada intensidade, à menor provocação.


2. Assumir a responsabilidade da comunicação


Lembre-se frequentemente que a forma como se sente e a forma como reage são da sua responsabilidade, não são uma consequência direta da situação ou dos outros. Cada um de nós escolhe a sua forma de reagir. Aqueles que não escolhem deixam-se manipular pelas suas próprias emoções e pelas circunstâncias. Assuma o controlo da sua vida e dirija-a para os resultados que quer.


3. Detetar, o mais precocemente possível, as situações desencadeadoras de reações impulsivas


Quanto mais cedo conseguir tomar consciência do que sente, de que forma se sente ameaçado/a e quais os padrões de comportamento que usa habitualmente, nessas circunstâncias, mais fácil será conseguir controlar-se.

Pergunte-se:

  • Como é que este tipo de situação me faz sentir?

  • O que é que nesta situação me ameaça e de que forma?

  • Em que é que isto é importante para mim?

  • Como reajo habitualmente? que resultados obtenho?

  • Qual o resultado que eu quero obter?

  • O que devo fazer para obter esse resultado?

  • Como me devo preparar para reagir da próxima vez?

Este tipo de reflexão permite-lhe compreender o que faz, o que quer fazer diferente e como se deve preparar para o fazer.

Experimente. Não espere conseguir de imediato, vai precisar de tempo para treinar o seu cérebro a funcionar de forma diferente.


4. Prepare-se para o desconforto


Se tem um assunto difícil para tratar ou se precisa de falar com alguém com quem normalmente acaba a discutir, tome tempo a preparar o que vai dizer e como vai lidar com a frustração. Visualize a situação antes de começar, o que vai dizer, como o vai fazer, em que local se vai sentar, qual a sua postura corporal, o seu tom de voz...


5. Em caso de emergência: adie


Se sentir que está prestes a perder o controlo, respire fundo, tente mudar o seu estado de espírito, diga a si próprio "vou conseguir", "sou forte, consigo manter a minha postura de serenidade". Se ainda assim a pressão for demasiada, opte por adiar, peça à outra pessoa para voltarem a falar disso mais tarde. Faça uma pausa, distraia-se, dê um passeio, faça exercícios de relaxamento ou exercício físico, "durma" sobre o assunto...volte a preparar-se e tente de novo. Não deixe de resolver a situação ou ela voltará para o assombrar, resolva-a bem e encerre-a.


6. Reforce os pequenos progressos


Comece por experimentar em pequenas coisas, mais fáceis de mudar e persista até conseguir dar os grandes passos.


Gerir as emoções é aceitar o desconforto de sentir a emoção negativa, sem a negar ou calar, é planear formas mais adaptadas de reagir, evitar respostas automáticas e irrefletidas e não ceder às necessidades imediatas, para obter melhores resultados a médio-longo prazo.

O mais elevado nível de desenvolvimento da autorregulação é a possibilidade de controlar e escolher o nosso estado de espírito, em cada momento.

E você, usa outras estratégias para lidar com as suas emoções?


Partilhe aqui a sua experiência pessoal.

0 comentário

Comentários


Arquivo

bottom of page